Keblinger

Keblinger
O sucesso Titanic volta a ser exibido nos cinemas, agora em 3D. Confira as salas e horários!

26 de fev de 2013

Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer

Bruce Willis está de volta nesta nova aventura, que agora mostra não somente um McClane em ação, mas dois, pois seu filho Jack (Jai Courtney) também é parte da história.

Com direção do até competente John Moore (“Atrás das Linhas Inimigas”, “O Vôo da Phoenix” e “Max Payne”) e roteiro do homem da ação Skip Woods (“Esquadrão Classe A”, “A Senha: Swordfish”), este novo Duro de Matar tem uma história comum, mas que serve como alicerce para juntar em ação pai e filho, duas gerações de McClane: a antiga com Willis, bem old school, e a nova com Courtney, mais high tech. Esta mistura de estilos e junção funciona muito bem, graças à ótima química dos atores.

Apesar da história não ter muita inovação, a ação faz valer tudo aquilo que gostamos na franquia Duro de Matar, ainda que o foco não seja somente no personagem de Willis e isso seja um ponto positivo e negativo ao mesmo tempo. Positivo, pois os produtores devem estar pensando em renovar a franquia com outro ator e personagem, neste caso Jai Courtney vivendo o jovem McClane (o que ele prova ter carisma suficiente para fazer), e negativo, pois tudo aquilo que éramos acostumados a ver com McClane ficaram um pouco de lado por conta da mistura do old school com o high tech citado acima.

“Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer” é um ótimo filme. Não é melhor que seus antecessores, mas ainda assim é muito bom para um possível reinício da franquia. Tem ação, diversão e mentira, tudo aquilo que o fã espera ver. “Yippee Ki-Yay”.





Direção - John Moore
Roteiro - Skip Woods
Duração - 98 min
Gênero - Ação
Nome Original - A Good Day to Die Hard
Pais - EUA
Ano - 2013

0 comentários: