Keblinger

Keblinger
O sucesso Titanic volta a ser exibido nos cinemas, agora em 3D. Confira as salas e horários!

10 de nov de 2010

Jogos Mortais - O Final

Chega aos cinemas de Belém o último (será mesmo?) capitulo da franquia “Jogos Mortais”, e chega em 3D, apesar de termos somente algumas cenas impactantes utilizando os recursos da tecnologia.

Confesso que sou fã da franquia e, independente do que aconteça, nunca deixarei de ver mais um capitulo da saga de JigSaw, porém creio que desta vez tudo tenha realmente terminado. E digo mais, terminou em grande estilo.

Se vocês lembram do final do ultimo filme, devem saber que o foco principal deste 7º filme é a caça do Detetive Hoffman (Costas Mandylor) à ex-mulher de JigSaw (Tobin Bell fazendo uma rápida participação), a perturbada Jill (Betsy Russell com sua péssima atuação). Enquanto Hoffman caça Jill, ele continua preparando algumas armadilhas (neste filme elas estão melhores do que nunca) com o intuito de tirar a policia de seu encalço. Uma destas armadilhas é contra Bobby (Sean Patrick Flanery), um dos sobreviventes das armadilhas de JigSaw no passado, que em vez de manter o anonimato, começou a lucrar bastante com os relatos do que viveu, o que deixou JigSaw um pouco irritado.

Pra não estragar muito as surpresas que o filme propõe, temos a volta do saudoso Dr. Gordon (Cary Elwes) e, como todos sempre imaginaram, ele é de suma importância para o encerramento da franquia.

Você pretende ver o ultimo capitulo da franquia ou não? Faça sua escolha!

Direção - Kevin Greutert
Roteiro - Patrick Melton and Marcus Dunstan
Duração - 90 min
Genero - Terror/Suspense
Nome Original - Saw 3D
Pais - EUA/Canadá
Ano - 2010


1 comentários:

Com todo respeito, mas isso é comentário de fã...
Quem prestar a mínima atenção, perceberá que há tempos, JOGOS MORTAIS virou um amontoado de banalidades e futilidades, sem meio por cento da inteligência e crueza do primeiro!

Jogos Mortais está onde está, pq ainda tem gente que gosta de ir ao cinema e ser banhado por sangue alheio e roteiro inexistente